apoio
Chave EPITONIIDAE
Chave para identificação dos EPITONIIDAE que ocorrem no Brasil.

Chave original proposta por Vanin & Henckes (2005). Inclui 39 espécies: 33 citadas em Rios,1994 (duas consideradas sinônimos), Epitonium xenicima registrada por Absalão (1996), Epitonium polacia registrada por Miyaji (2004), e 4 espécies cujas ocorrências ainda não foram formalmente publicadas em artigos ou livros, mas estão assinaladas no sítio da CdB (assinaladas com *). Miyagi (2004) cita várias outras ocorrências novas. Entre colchetes, o comprimento máximo encontrado na literatura, ou no material fotografado. Nomenclatura atualizada, segundo malacolog.

1. Voltas corporais aderentes ou livres, mas aproximadas entre si; costelas axiais contínuas ou pelo menos muito aproximadas entre si
2
1’. Todas as voltas corporais livres e bem distanciadas entre si, não unidas pelas costelas axiais [10 mm]

2 (1). Suturas das voltas corporais crenuladas
3
2’. Suturas das voltas corporais não crenuladas
6

3 (2). Com cordão basal
4
3’. Sem cordão basal. Com 14 a 16 costelas axiais [10 mm]

4 (3). Costelas axiais nodulosas; cordões espirais salientes [8 mm]
4’. Costelas axiais não nodulosas, lisas na margem externa; cordões espirais ausentes
5

5 (4). Com 11 costelas axiais pouco distintas e que não se prolongam abaixo do cordão basal; sutura com ângulo evidente, formando um ombro saliente; sem fileiras espirais de fovéolas distintas (10X) nos espaços entre as costelas axiais [20 mm]
5’. Com 10-14 costelas axiais distintas que se prolongam abaixo do cordão basal; sutura sem ângulo evidente, não formando um ângulo saliente; com fileiras espirais de fovéolas distintas nos espaços entre as costelas axiais, mesmo em baixas ampliações [12 mm]

6 (2). Com cordão basal
7
6’. Sem cordão basal
15

7 (6). Com costelas axiais denteadas ou sinuosas
8
7’. Com costelas lisas ou irregulares, nunca denteadas ou sinuosas
9

8 (7). Costelas angulosas junto às suturas das voltas corporais, formando ombros salientes [44 mm]
8’. Costelas não angulosas junto às suturas das voltas corporais, não formando ombros salientes [19 mm]
Cirsotrema pilsbryi

9 (7). Conchas opacas, cor branca de giz [30 mm]
9’. Conchas brilhantes, se opacas não possuem cor branca de giz
10

10 (9). Costelas axiais e cordões espirais bem evidentes e igualmente desenvolvidos, resultando aspecto cancelado [33 mm]
10’. Costelas axiais bem mais desenvolvidas que os cordões espirais; cordões espirais às vezes pouco evidentes
11

11 (10). Costelas axiais se prolongam abaixo do cordão basal; costelas axiais brancas, espaço entre elas marrom ou avermelhado, com ou sem faixas centrais mais claras
12
11’. Costelas axiais não se prolongam abaixo do cordão basal; costelas axiais e espaços entre elas de mesma cor
13

12 (11). Última volta do corpo com cerca de 12 costelas em forma de cordões baixos [12 mm]
Epitonium (Gyroscala) xenicima
12’. Última volta do corpo com cerca de 11 costelas lamelares altas [32 mm]

13 (11’). Suturas das voltas corporais com um cordão fino e estreito; protoconcha lisa, marrom-amarelado-claro
14
13’. Suturas das voltas corporais sem um cordão fino e estreito; protoconcha carenada, marrom-escuro [12 mm]

14 (13). Última volta corporal com cerca de 17 costelas axiais, que não formam varizes [13 mm]
14’. Última volta corporal com 11 a 13 costelas axiais, algumas das quais alargadas e podendo formar varizes [7 mm]
Punctiscala watsoni

15 (6). Concha marrom-claro, ou branca com manchas marrons e costelas axiais brancas; costelas axiais semelhantes a cordões, delgados e baixos
16
15’. Concha totalmente branca, ou amarelada, ou marrom-amarelada, com costelas de mesma cor que os espaços entre elas; costelas axiais em forma de lamelas ou cordões, às vezes ambas formas presentes na mesma concha
17

16 (15). Última volta corporal com 12 a 14 costelas axiais, providas de uma pequena saliência em forma de espinho agudo no ombro; sem escultura espiral (10X) [21 mm]
16’. Última volta corporal com cerca de 10 costelas axiais, lisas, sem espinhos nos ombros; com escultura espiral (10X) [20 mm]
Depressiscala nitidella

17 (15’). Voltas corporais aderentes ou não, mas nesse último caso ligadas pelas costelas axiais; costelas axiais com formatos diversos, mas nunca com 3 a 5 lobos arredondados na margem externa
18
17’. Primeiras voltas corporais aderentes, últimas voltas livres e com costelas axiais descontínuas; costelas axiais lamelares (7 a 13), com 3 a 5 lobos arredondados na margem externa [9 mm]

18 (17). Escultura espiral ou presente ou ausente em todas as voltas do corpo (10X)
19
18’. Escultura espiral presente (10X) nas 3 primeiras voltas pós-nuclerares, mas ausente (10X) nas demais voltas do corpo [44 mm]

19 (18). Sem escultura espiral visível entre as costelas (10X); se existente, evidente apenas com ampliações muito maiores
20
19’. Com escultura espiral presente entre as costelas (10X)
32

20 (19). Voltas da espira aumentam gradualmente suas larguras
21
20’. Voltas de espira alargadas abruptamente logo após a terceira volta da protoconcha, conferindo à concha um perfil oblongo característico; com 26 a 28 costelas axiais lamelares lisas e não angulosas na última volta do corpo

21 (20). Costelas axiais em forma de cordões baixos e espessos
22
21’. Costelas axiais em forma de lamelas finas
24

22 (21). Cordões contínuos e não refletidos
23
22’. Cordões descontínuos (12 a 15), alguns podem ser refletidos [33mm]

23 (21). Com 8 a 9 cordões fortemente angulosos nos ombros; sutura das voltas corporais profundas; sem faixas de cor marrom abaixo das suturas [18 mm]
23’. Com 7 a 9 cordões sem ângulos salientes ou espinhos nos ombros; alguns exemplares podem possuir uma faixa de cor marrom abaixo das suturas [12,5 mm]

24 (21). Conchas alongadas, o comprimento maior que 3 X a largura
25
24’. Conchas proporcionalmente mais largas, o comprimento com menos de 2,7 X a largura
27

25 (24). Com mais de 17 costelas axiais lamelares, angulosas nos ombros e providas de espinhos ou ganchos
26
25’. Com 13 a 15 costelas axiais lamelares , angulosas nos ombros mas sem espinhos ou ganchos [25 mm]

26 (25). Com 17 a 19 costelas lamelares altas, providas de um espinho em forma de gancho no ombro; maior largura de cada volta do corpo localizada próximo da margem anterior; espécie maior, alcançando 22 mm de comprimento
26’. Com 20 a 30 costelas lamelares baixas, providas de um espinho triangular agudo e pequeno no ombro; maior largura de cada volta do corpo localizada próximo do meio; espécie menor, alcançando 12,5 mm de comprimento

27 (24’). Concha curta e larga, o comprimento cerca de 1,6 X a maior largura; umbilicus muito profundo. Com 10 a 12 costelas axiais lamelares fortemente angulosas nos ombros [18 mm]
27’. Conchas mais alongadas. O comprimento variando de 1,9 X a 2,6 X a maior largura; umbilicus fechado ou aberto, mas nunca tão profundo
28

28 (27). Com 9 ou mais costelas em forma de lamelas ou cordões; se lamelares, nunca formam expansões tão desenvolvidas; umbilicus fechado
29
28’. Com 7 ou 8 costelas lamelares finas e altas, angulosas nos ombros; umbilicus aberto e evidente [18 mm]

29 (28). Costelas axiais sem angulações nos ombros
30
29’. Costelas axiais com angulações nos ombros, podendo ser mais desenvolvidas nas primeiras voltas do corpo
31

30 (29). Concha larga, o comprimento cerca de 2 X a maior largura; com 14 a 20 costelas axiais lamelares finas e altas nas últimas voltas do corpo; nas primeiras voltas, as costelas podem ser baixas e mais espessas [25 mm]
30’. Concha mais alongada, o comprimento cerca de 2,5 X a maior largura; com 11 a 15 costelas axiais, variando de lamelares finas e altas a largas e baixas como cordões, em todas as voltas do corpo [21,5 mm]

31 (29’). Suturas entre as voltas do corpo profundas e achatadas; com 12 a 15 costelas axiais em forma de lamelas finas, angulosas nos ombros, podendo formar espinhos ou ganchos; nas primeiras voltas, as costelas podem ser mais numerosas, chegando a 20 [25 mm]
31’. Suturas entre as voltas do corpo profundas mas não achatadas; com 9 a 12 costelas axiais em forma de lamelas espessas, fortemente angulosas nos ombros, em especial nas primeiras voltas, mas não formam espinhos ou ganchos; nas primeiras voltas, o número de costelas não é muito diferente daquele das voltas seguintes [25 mm]

32 (19). Conchas muito alongadas, o comprimento maior que 3,2 X a maior largura. Com cerca de 24 costelas lamelares finas e baixas, descontínuas, em alguns exemplares, com pequenos espinhos nos ombros; esculturas espiral e axial presentes nos espaços entre as costelas, originando padrão cancelado [30 mm]
32’. Conchas menos alongadas, o comprimento menor que o triplo da maior largura
33

33 (32). Conchas curtas e robustas, o comprimento menor que o dobro da maior largura; última volta corporal aproximadamente com o mesmo comprimento que o das demais voltas reunidas
34
33’. Conchas mais alongadas, o comprimento maior que o dobro da maior largura; última volta corporal muito menor que o comprimento que o das demais voltas reunidas
36

34 (33). Com 11 a 14 costelas lamelares, regularmente espaçadas entre si; costelas axiais com ângulos salientes, espinhos ou ângulos nos ombros
35
34’. Com cerca de 50 costelas lamelares finas e muito baixas, com espaçamento irregular entre elas; costelas axiais sem ângulos salientes, espinhos ou ganchos nos ombros [15,5 mm]
Epitonium frielei

35 (34). Esculturas espiral e axial bem desenvolvidas nos espaços entre as costelas, originando padrão cancelado (10X) [25 mm]
35’. Escultura espiral bem desenvolvida nos espaços entre as costelas, mas escultura axial ausente ou pouco evidente (10X) [15 mm]
Epitonium denticulatum

36 (33’). Com cerca de 34 costelas na última volta corporal. Costelas sem ângulos salientes, espinhos ou ganchos nos ombros; com cordões espirais finos que não atravessam as costelas axiais; primeiras voltas do corpo com maior número de costelas que as seguintes [28,5 mm]
36’. Com menos costelas nas últimas voltas do corpo (9 a 25)
37

37 (36’). Costelas variando de lamelas finas a cordões não muito espessos (9 a 16), com ganchos nos ombros, geralmente voltados para trás [14 mm]
37’. Costelas lamelares ou em forma de cordões (11 a 25), sem espinhos ou ganchos, ocasionalmente formando pequenos ângulos nos ombros
38

38 (37’). Costelas lamelares altas (18 a 25) nas últimas voltas, lisas ou formando pequenos ângulos salientes nos ombros, às vezes refletidas, [10 mm]
38’. Costelas em forma de cordões pouco espessos e baixos (mais numerosos nas primeiras voltas, chegando a 45, do que nas últimas, variando de 11 a 20), lisas e sem angulações nos ombros, nunca refletidas [15 mm]

Epitonium multistriatum

- uma chave interativa está sendo elaborada, que irá substituir esta em breve

 

Glossário | Referências | Créditos | Copyright

© 2001 - 2023 Conquiliologistas do Brasil