apoio

RANELLIDAE

Características gerais: A família Ranellidae, anteriormente chamada de Cymatiidae, é caracterizada por conchas bastante diversas em aparência, preferências ecológicas e distribuição.
A família está dividida em duas subfamílias: Ranellinae e Cymatiinae.

- Ranellinae: incremento de menos de meia volta, 180 - 200º
- Cymatiinae: possui varizes situadas a cada 240º, incrementos de 2/3 de volta no seu crescimento

Nas espécies registradas para o Brasil, as conchas variam de 30mm a 400mm, a maior é a Charonia variegata, uma das maiores espécies que ocorrem no Brasil.

A maioria é carnívora e preda ostras, mexilhões e outros bivalves. As espécies de C. variegata atacam até estrelhas-do-mar.

A maior parte das espécies, principalmente as do gênero Cymatium, possuem um periostraco bastante espesso e ciliado. É daí que vem seu nome popular de 'búzio peludo ou cabeludo'.

É na família Ranellidae que estão as espécies com maior área de ocorrência no mundo. Isso se deve ao fato da maior parte das espécies possuir larvas que se alimentam de plâncton e são capazes de atrazar sua metamorfose até encontrarem um substrato favorável. Desta maneira as larvas podem viajar pelas correntes oceânicas a pontos bastante distantes do seu local de origem. É o caso do Cymatium parthenopeum , uma das espécies com distribuição mais ampla. Sua fase larval pode durar até um ano. Neste período, a larva mantem o mesmo tamanho para continuar se alimentando no plâncton.

Características da concha:


pequeno exemplar de C. parthenopeum, 8mm

Meio ambiente: As espécies da família vivem em fundos arenosos e calcáreos. As espécies de Cymatium são mais comuns nos costões rochosos da faixa de marés até 10 metros. Espécies do gênero Ranella são encontradas à profundidades superiores a 30 metros e são mais raras.

Gêneros no Brasil:



Cabestana

Charonia

Cymatium

Fusitriton

Linatella

Ranella

Importância comercial: Nenhuma espécie de Ranellidae é explorada comercialmente no Brasil. O Cymatium parthenopeum em algumas regiões preda culturas de ostras, principalmente as rasas e próximas da costa, exploradas comercialmente, impactando na sua produção [Alvarenga, L. & Nalesso, R.C. 2006]. Por isso é considerada uma praga e possui sua quantidade controlada. Existe informação de espécies de Linatella que também atacam ostreiculturas no sul do país.

Nomes populares: búzio peludo: Cymatium parthenopeum

 

 

Glossário | Referências | Créditos | Copyright

© 2001 - 2019 Conquiliologistas do Brasil